Passo a passo

Em Janeiro de 2009, quando comecei a escrever Mevrouw Janetive dias de bloqueio. Mas não foram tantos. Noutros momentos, sorri e pensei: Estou psicografando ou o quê?  Isso ocorreu quando os meus personagens tomaram conta das narrativas e assumiram o show!  Oito meses depois, era verão aqui na Holanda, e as últimas páginas foram escritas à luz do Sol, literalmente. Logo depois, comecei a procurar por um agente literário. Enviei sinópse do livro para vários. Acessei diversos sites e, em Outubro, esbarei no de Laura Bacellar; no seu “Guia do Autor Independente. Assim o comentei:
Olá, Sra. Laura!
Fiz minha caminhada matinal, peguei um chuvão, tive um contato direto com a mãe natureza – o outono já começou aqui na Holanda -, depois tomei banho e vim ‘viajar’ no seu site. Que surpresa agradável!
Extremamente tentador não querer repetir os muitos elogios, como nos comentários já feitos acima, simplesmente  porque você merece! A transparência e a leveza com que se comunica, mostra, antes de tudo, não somente o grande profissional que é, mas o quanto faz o seu trabalho com seriedade e paixão! Isso é comovente e faz a gente, novos escritores, querer andar! Igual ao combustível para o nosso carro, as suas palavras, fazem a nossa vontade de escrever ficar mais lúcida, crítica, aguçada, e em sintonia com a realidade!
Agora, nesse instante, me sinto de tanque cheio, acelerando, pronta para partir, seguir a trilha… a caminho de publicar o meu primeiro livro… um dia! Haverá curvas, buracos no asfalto e falta de sinalização. Mas não tem problema, não! Nunca gostei de nada fácil -nem nunca tive-.”Laranja madura na beira da estrada, ou tá bichada  Zé, ou tem marimbondo no pé!”
Saiba que meu coração verde-amarelo, está sorrindo agora, tamanha a alegria que você me fez sentir. Daqui de Wezep, na Holanda, vão as minhas vibrações de muita paz em todos os seus dias e que continue assim, esse profissional nota 10!”
Ela me respondeu:“Olá Josane, super obrigada pelo comentário para lá de simpático. Espero que toda essa energia positiva se transforme em ótimas histórias! (Eu adoro a Holanda, aproveite!)”
Poucos meses depois, o agente literário Ralph Peter elogiou a sinópse recebida e  quis me conhecer. Vibrei!   Ainda na Holanda, comprei o livro: “Quero publicar o meu livro”, de Ademir Pascale.
Ele cita: “Realmente, não é fácil ser um autor em nosso país, mas quem disse que em outro país também é fácil? … … Digamos que tudo depende de fatores, como: “Persistência e muita Persistência”. Por que a persistência? Porque algumas editoras nem chegam a ler a 2º página de sua obra… isso mesmo, após meses ou talvez anos de trabalho, seu material é avaliado em questões de minutos…” E exemplifica: “Sempre que ouço a história da autora do bruxinho “Harry Potter”, J.K. Rowling (Joanne Kathleen Rowling), fico emocionado. Ela passou muitos anos tentando publicar o seu primeiro livro “Harry Potter e a Pedra Filosofal”, passou por dificuldades financeiras, familiares, sofreu de depressão e, acredite se quiser, não possuía nem um computador em casa, tinha de ir todos os dias em um Cyber Café para concluir sua obra, enquanto que a sua pequenina filha “Jessica” dormia em um carrinho de bebê ao seu lado. Tentou publicar em nove das grandes editoras de seu país, mas todas o recusaram, afinal, quem publicaria a história de um bruxinho chamado “Harry Potter”? Depois de muitos anos, tentativas e fracassos, finalmente, no ano de 1997, J.K. Rowling conseguiu publicar seu primeiro livro.”
Em novembro, ainda 2009, fui ao Brasil e fiz o registro de Mevrouw Jane na Biblioteca Nacional – na UFES. Tive muita sorte, pois a moça que me atendeu fez questão de registrar o momento.
Eu estava consciente de uma verdade: encontrar uma editora que viesse a se interessar em publicar um  escritor de primeira viagem, era  algo que demandaria muito tempo.
Assim, eu, que não tinha conhecimento algum sobre o mundo literário ou sobre o das editoras, obviamente, enviei  uma cópia do manuscrito para o agente em São Paulo. E, a pedido dele, fui posteriormente, conhecê-lo e conversar sobre o meu livro. Naquele encontro, ele reiterou ter gostado muito de ler Mevrouw Jane, mas encontrar uma editora iria demorar. Eu, que já sabia disso, me coloquei a esperar. Mas não consegui esperar muito, somente um ano. 
Bem citam Laura Bacellar e  Tom Harris, respectivamente:
“Só gostaria de deixar absolutamente claro que, quando você faz um livro por conta própria, É VOCÊ QUEM TEM DE VENDÊ-LO.”
“Para um escritor, a auto-publicação é uma extensão do processo criativo…  ele participa ativamente do processo de levá-lo ao público. Obviamente não é fácil. Hoje, é   possível   produzir uma tiragem substancial de qualidade por aproximadamente R$12 mil.” 
É necessário mesmo muita determinação e um trabalho que permita patrocinar o sonho.  Aos  poucos,  tenho assimilado a grande responsabilidade que isso significa. Não somente a financeira, mas a logística que o processo requer. Sem mencionar um outro fato extremamente relevante, se não o mais:  o rinse!
Explico: Na ausência de um editor, é imprescindível para o autor, antes de se auto-publicar, fazer cópias do manuscrito e enviá-lo não somente para os amigos – que admiram uma boa leitura -, pois isso parece óbvio que seja feito. Mas também para pessoas que dirão críticas duras, às vezes devastadoras. Entretanto tais críticas são de suma importância. Assim, o autor, depois de refletir sobre as mesmas, inúmeras vezes, entende que precisará reescrever o seu livro! – em partes ou num todo.  E reecrevê-lo em nada  terá em comum com insegurança em relação ao que tinha escrito anteriormente. Esclareço melhor citando, de memória, o Mestre Graciliano Ramos:
“Escrever é cortar palavras, eliminar o supérfluo. Precisa ser como fazem as lavadeira no rio; elas botam a roupa na água, depois torcem, torcem, torcem e depois colocam a roupa para secar. Escrever é usar a palavra que foi feita para dizer, não para enfeitar.”
Eu torci Mevrouw Jane incontáveis vezes, o máximo que pude  – e que processo desafiante! – Escrevi com esmero, com riquesa de detalhes e  simplicidade, que é tudo na escrita.

Hoje, depois de avaliar vários orçamentos durante as últimas semanas, encontro-me num outro momento, um  de fazer o coração bater acelerado: efetivamente publicando 500 exemplares de Mevrouw Jane pela editora Scortecci. E como e-book pela Simplíssimo.  Afinal, estamos na era do e-book  e seria totalmente insano me aventurar no mercado literário sem ele!
O que é um e-book? Trata-se de um livro com o mesmo conteúdo da versão impressa, no entanto, em formato digital.


A publicação impressa  demandará uma espera de 11 semanas. Mas via e-book, somente 4!
Que satisfação poder informar isso a você!
Tenho seguido as sugestões dos que têm estado ou já estiveram nessa estrada: “Não se deixe abater pelo processo de auto-publicação. Se você conseguir ser perseverante,  poderá obter sucesso.”
O que já posso testemunhar é que minha experiência tem sido instigante, preocupante, mas prazerosa e fascinante! 
Que venham mais boas-novas! Até o lançamento! – primeiro do e-book, depois em papel! 
Saudações literárias!
 https://josanemary.wordpress.com/2011/03/17/passo-a-passo/

Sobre Josane Mary

O ato de escrever se tranformou numa extensão de mim... https://josanemary.wordpress.com
Esse post foi publicado em Bem-Vindo!, Escrever, Livro Lançamento, Mevrouw Jane, Passo a Passo, Ups & Downs de autopublicar e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

7 respostas para Passo a passo

  1. Antonio Ramiro Fonseca disse:

    Querida amiga Jô,

    O percurso que você teve de fazer até o registro e a edição de “Mevrouw Jane”, na verdade, não foi um passo a passo. Está mais para uma maratona que é super disputada por fortes, tradicionais e técnicos quênianos. Sem nenhuma surpresa, pelo menos para mim, eis que na “Finish Line” surge, como vencedora, a minha singela, delicada, doce e querida amiga JOSANE.
    Esses labirintos e dificuldades, a princípio, parecem nocivos. Porém, na verdade, eles só valorizam e abrilhantam as nossas vitórias.
    Mais uma vez, parabéns e saiba que tenho muito orgulho de ser seu amigo. Que Papai do Céu conserve, para sempre, dentro de você os valores humanos que você pratica.
    Abraços Fraternos,
    Ramiro

    • Josane Mary disse:

      Oi, Ramiroviski, meu anjo!
      Que alegria te ler!
      Você disse tudo: maratona e abrilhantam.
      Sinto-me muitíssimo honrada por receber de você tão especial carinho e torcida para com Mevrouw Jane.
      Nos veremos no lançamento!
      Grande beiJO & Saudações Literárias!

  2. charlywalker disse:

    Gosh, I would love to read your blog but I don’t speak the language….

    • Josane Mary disse:

      Hi, Chary!
      I have been trying to add a translation widget, but wordpress.com has tons of limitations. Sorry!
      However, there is also google translator, and usually, it is available to translate any kind of page/blog. Please, let me know if that solution works out nicely for you, ok? I’ll keep on trying to get a better one around here, asap!
      Anyways, it was lovely to have your visit! Many thanks!
      This blog of mine, is about me as a writer. I am self publishing a novel: Mevrouw Jane (paper and e-book). It is my debut one, and José Augusto Carvalho – Master in Linguistics from the University of Campinas and Doctor of Letters at the University of São Paulo-BRASIL, has said it gives the illusion of being the work of an experienced author, by the qualities it presents.

      [After I had became a triple Harvard award winner, I felt like writing a novel!]

      It is an intimate novel, centered primarily around family problems. It is based upon not only my difficulties experienced in Holland – where I live –, but also based upon my process of effectively overcoming them all. For instance:
      • The conflicts around raising my Dutch stepsons,
      • Couple therapy – love-relationship,
      • Borderline Personality Desorder,
      • Loneliness due the loss of her whole family, baby.
      • My prizes at the Harvard University-USA

      I am working on the English version, but it will take some time before it is done.
      Kind regards, have a great one!

  3. Antonio Queirós disse:

    Senhora Josane Mary,
    Estive lendo algumas coisas do seu livro, por indicação de uma amiga brasileira.
    Uma professora de nome Magnolia. Adorei. Muito sucesso, não desista nunca a senhora é Brasileira.

    • Josane Mary disse:

      Olá, Antônio! [permita-me chamá-lo pelo primeiro nome]
      Que alegria receber a sua visita e ler tão carinhoso comentário. Muitíssimo obrigada!
      É uma honra saber que as pessoas têm indicado este meu cantinho virtual, e que o meu livro esteja causando essa impressão nos que aqui chegam.
      Sorrio agora, pois é linda a emoção que estou sentido. Agradecerei à Magnólia.
      Espero que Mevrouw Jane seja um dos próximos de sua lista.
      Você pode estar certo disso: eu sou Brasileiríssima!
      Tenha uma ótima noite, retorne sempre!
      Grande abraço.

    • Josane Mary disse:

      Boa-noite, Antônio Queirós!
      Entro em contato para informar que ambas versões de “Mevrouw Jane” [impressa e digital] já estão disponíveis; demorou um pouquinho mais do que esperado, na verdade.
      Assim, caso ainda tenha interesse em lê-lo, por favor, entre em contato comigo.
      Versão digital: R$ 19,00 ou € 7,93 [na cotação de hoje].
      Versão impressa: R$ 45,00 ou € 18,80 [na cotação de hoje].
      Grande abraço daqui da Holanda!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s